Cartas Políticas

Cartas Políticas

Carta Política #287

“Mas eu diria que a vasta maioria da comunidade global está unida em uma visão compartilhada, de que invadir um outro país, tentar tirar parte de seu território, […] certamente não está alinhado com valores globais e, então, acho que o Brasil parece estar do outro lado de onde está a maioria da comunidade global”. (Jen Psaki, porta-voz da Casa

Cartas Políticas

Carta Política #286

“Mais que o baixo desempenho nas pesquisas, apesar da intensa exposição, especialmente pós-previas, o que mais preocupa a estes líderes do partido é a altíssima e persistente rejeição que o candidato escolhido tem no seu próprio Estado, a 45 dias de deixar o mandato”. (Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul)             O minguado desempenho de uma terceira via,

Cartas Políticas

Carta Política #285

“O presidente do Senado está conduzindo isso, orientando, coordenando, conversando com todo mundo e fazendo todos terem certeza de que a tramitação desses projetos seguirá um curso muito responsável, consensual e principalmente efetivo”. (Jean Paul Prates, senador petista pelo Rio Grande do Norte)             Os acordos para a PEC dos Combustíveis davam conta de um projeto que custaria cerca de

Cartas Políticas

Carta Política #284

“Bolsonaro está escrevendo um rosário de erros. A PEC é política e irresponsável. Diz muito do governo”. (Mailson da Nóbrega, economista)             A proposta da PEC dos Combustíveis foi maturada ao longo desta semana. Caiu em definitivo a ideia de um fundo estabilizador de preços, por parecer ineficaz na redução de preços. Ficou a intenção de se criar a possibilidade

Cartas Políticas

Carta Política #283

“Nós temos uma Proposta de Emenda à Constituição, que está sendo negociada com a Câmara e com o Senado, para nós diminuirmos, ou melhor, podermos ter a possibilidade de praticamente zerar os impostos dos combustíveis, PIS e Cofins. Então, é uma possibilidade”. (Bolsonaro)             O presidente anunciou que está preparando uma proposta de emenda constitucional para reduzir os preços dos

Cartas Políticas

Carta Política #282

“É uma maneira de retirar poder a tecnocracia e dar mais poder para a política”. (Ministro do governo, de acordo com o Valor)               Um decreto firmado pelo Presidente nesta semana reduziu os poderes do Ministério da Economia para promover alterações no Orçamento. A partir de agora, será necessário também o aval da Casa Civil para efetivar as mudanças,

Cartas Políticas

Carta Política #281

“Passados quatro anos está claro que os objetivos da reforma trabalhista de Michel Temer, ampliada e aprofundada por Bolsonaro, revelou-se um desastre para a classe trabalhadora e para a nação”. (Centrais Sindicais, em comunicado)             A contrarreforma trabalhista aprovada na Espanha atiçou as centrais sindicais no Brasil. Os espanhóis decidiram revogar uma reforma de molde similar a brasileira, aprovada lá

Cartas Políticas

Carta Política #280

“Temos que excepcionar esses dogmas da política: governo fraco, ano eleitoral. A reforma tributária já está amadurecida. Vamos tentar votar nem que seja apenas na CCJ e no plenário do Senado”. (Interlocutor do Senado, ao Valor)              Tipicamente, não são esperadas grandes reformas para anos eleitorais. Quem altera políticas importantes sempre acaba pisando no calo

Cartas Políticas

Carta Política #279

“O episódio revela que o atual governo não dá a menor pelota ao ajuste fiscal e às regras do jogo. O golpe no teto de gastos e o calote nos precatórios, no fundo, foram para viabilizar disparates como este reajuste aos policiais federais”. (Felipe Salto, diretor do Instituto Fiscal Independente)             O orçamento de 2022 foi finalmente aprovado, abrindo espaço

Cartas Políticas

Carta Política #278

“Ainda temos que avaliar se o crime compensa”. (Liderança petista, sobre Alckmin como VP de Lula)             Na semana, e conforme já amplamente antecipado, Geraldo Alckmin anunciou sua desfiliação do PSDB. Apesar do ex-governador paulista ter feito um resultado pífio nas presidenciais de 2018, o movimento é interessante por alguns motivos.             O primeiro é que não há, hoje, um